Projeto Integrado de Luta Contra a Pobreza dos Bairros da Biquinha e de Custóias

Objetivo geral – Prevenir situações de exclusão social, nomeadamente a exclusão de crianças e jovens do sistema de ensino.
População alvo – População residente nos Conjuntos Habitacionais da Biquinha e de Custóias.
Entidade financiadora – Comissariado Regional do Norte de Luta Contra a Pobreza e Câmara Municipal de Matosinhos.
Duração – 1991 / 1995.

Áreas de Intervenção:
Educação; Emprego e Formação; Saúde; Dinâmicas Comunitárias Locais; Reabilitação Urbana; Infra-Estruturas e Equipamentos; Ação Social.

Resultados
Aquisição de competências técnico-profissionais.
Inserção no mercado de trabalho.
Aumento do nível de instrução da população.
Melhoria da qualidade alimentar e aquisição de padrões de higiene das crianças.
Diminuição dos níveis de insucesso escolar.
Diminuição significativa dos casos de abandono escolar precoce.
Diminuição do número de crianças sem vacinação.
Construção de equipamentos sociais.
Aumento da capacidade organizativa das associações locais.
Constituição de um partenariado técnico e institucional.


(Re)Agir em Matosinhos

Objetivo geral – Prevenir situações de exclusão social e promover a melhoria das condições de vida da população.
População alvo – Crianças, jovens e famílias, residentes nos Conjuntos Habitacionais da Biquinha, Custóias, Perafita, S. Gens, Angeiras e Seixo.
Entidade financiadora – Comissariado Regional do Norte de Luta Contra a Pobreza e Câmara Municipal de Matosinhos.
Duração – 1996 / 2002.

Ações desenvolvidas
Proteção Social (Gabinetes locais de desenvolvimento, Acompanhamento de beneficiários do RMG – desde projeto piloto. Dinamização de creches, de equipamentos pré-escolares e cantinas.
Educação (Atividades para a participação parental, Atividades “curriculares integradas”, Acompanhamento psicossocial de casos de insucesso escolar, Mediação entre escola e família, Dinamização de atividades de tempos livres, Organização de Cursos do Ensino Recorrente – 1º, 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico).
Emprego (Apoio na procura de emprego)
Segregação Sócio-espacial (Formação e acompanhamento de “condomínios”; Renovação urbanística de espaços exteriores)
Dinâmicas Locais Associativas (Dinamização de associações Locais, Dinamização de Grupos de Jovens, Atividades de Verão). 

Resultados
Apoio das equipas multidisciplinares a cerca de 1000 famílias, o que corresponderá, sensivelmente, a 4600 pessoas e a uma média de 3000 atendimentos, por ano.
Maior articulação entre os serviços e rentabilização dos recursos disponíveis.
Maior cobertura social da população infantil.
Média de 1700 crianças/ano abrangidas pelas Atividades Curriculares Integradas (língua estrangeira; desporto; manualidades; informática; movimento, música e drama).
Diminuição dos casos de insucesso e abandono escolar.
Maior participação dos pais na vida da escola e no processo educativo das suas crianças.
103 pessoas por ano abrangidas pelos Cursos do Ensino Recorrente.
Média de 35 crianças / ano, com idades compreendidas entre os 0 e os 4 anos, abrangidas pelo Centro de Apoio à Criança.
Prolongamento do horário dos pré-escolares nos Conjunto Habitacionais de Custóias, Biquinha e Guarda – abrangeram cerca de 200 crianças / ano.
Cerca de 45 crianças / ano, com idades entre os 10 e os 16 anos, abrangidas pelo Centro de Apoio Social no Conjunto Habitacional da Biquinha.
Atividades de Tempos Livres nos Conjuntos Habitacionais da Biquinha, Custóias, S. Gens, Seixo, Guarda e Praia de Angeiras abrangendo 290 crianças / ano.
1300 pessoas / ano abrangidas pelas Cantinas Escolares.
Cerca de 300 pessoas desempregadas abrangidas pelos Clubes de Emprego.
Colocação de pessoas no mercado de trabalho.
Maior envolvimento da população nos processos de transformação pessoal e familiar.
Criação de condomínios com a respetiva melhoria nos cuidados de manutenção dos espaços comuns.


(Des)Envolver Matosinhos
M.A.I.S. – Matosinhos Apoia a Inserção Social 

Objetivo geral – Favorecer a autonomia da população alvo através da criação de condições para a sua inserção escolar, social e profissional.
População alvo – População residente nos Conjuntos Habitacionais do Seixo, Guarda, S. Gens, Custóias, Biquinha e Praia de Angeiras.
Entidade financiadora – Intervenção Operacional Integrar / Fundo Social Europeu e Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social.
Duração – 1996/98 e 1999/2000.

Ações desenvolvidas
Estudo de caraterização sócio-económica dos bairros abrangidos; Ações de informação e de sensibilização para os cuidados de saúde; Ações de formação familiar dirigidas a pais das crianças que frequentam os equipamentos sociais; Apoio financeiro ao funcionamento de ATL’s; Ações de (in)formação para os técnicos dos equipamentos; Ações de formação destinadas a dirigentes associativos e a jovens dos conjuntos habitacionais abrangidos; Acompanhamento do funcionamento de condomínios.

Resultados
Maior envolvimento, por parte dos moradores, no processo de mudança da imagem física dos seus bairros.
Envolvimento de professores, pais e crianças numa experiência conjunta promovendo a continuidade do trabalho entre a escola e a família.
Aumento da informação da população, e dos dirigentes associativos, sobre determinadas problemáticas e sobre os recursos disponíveis na comunidade.
Maior conhecimento, por parte das instituições e técnicos locais sobre a população alvo, seus problemas e potencialidades.
Melhor qualidade técnica no funcionamento dos equipamentos sociais.


Aqui Cabemos Todos

Objetivo geral – Aprofundar o conhecimento sobre culturas minoritárias; Promover a troca de conhecimentos entre parceiros sobre as referidas culturas; Melhorar a qualidade do ensino ministrado nas escolas e promover o sucesso educativo através da dimensão multicultural; Criar materiais pedagógicos adotando uma abordagem multicultural.
População alvo – Alunos e professores das escolas de 1º ciclo.
Entidade financiadora – Programa Sócrates – Ação Comenius da Comunidade Europeia.
Duração – 1997 / 2000.

Ações desenvolvidas
Recolha e sistematização de informação sobre culturas minoritárias; Desenvolvimento de atividades escolares de caráter multicultural; Realização de ações de formação sobre interculturalidade no desenvolvimento pessoal e social para agentes educativos; Elaboração de uma “Maleta Didáctica Intercultural”.

Resultados
Aumento dos conhecimentos dos agentes educativos sobre as metodologias de ensino–aprendizagem de carácter intercultural e do desenvolvimento pessoal e social das crianças;
Criação de materiais didácticos.


PETI – Programa Para a Prevenção e Eliminação da Exploração do Trabalho Infantil 

Objetivos gerais – Certificar jovens com o 2º Ciclo do Ensino Básico; Orientar e apoiar os jovens para a continuidade do seu percurso formativo.
População alvo – Jovens dos 13 aos 15 anos, em situação de abandono escolar e de trabalho infantil efetivo ou indiciado.
Entidade financiadora – PETI – Plano de Eliminação da Exploração do Trabalho Infantil, Ministério da Educação e Ministério da Segurança Social e do Trabalho.
Duração – 1º PIEF Outubro 2001 / Junho 2002, 2º PIEF Outubro 2003 / Agosto 2004, 3º PIEF Outubro 2004 / Julho 2005.

Atividades Desenvolvidas
3 Cursos de Plano Integrado de Educação / Formação; Acompanhamento psico-social dos jovens e famílias; Intercâmbios juvenis (troca de experiências com jovens da Dinamarca, Reino Unido e Estónia); Atividades extracurriculares: atividades desportivas, exposições com os trabalhos realizados, ações de sensibilização e visitas; Orientação vocacional e encaminhamento pós-PIEF.

Resultados
19 jovens certificados.
4 jovens inscritos em cursos de formação profissional.
2 jovens ingressaram em cursos de educação / formação.
16 jovens regressaram à escola.
Maior proximidade dos jovens e das suas famílias à escola.
Aumento das competências pessoais e sociais.



Centro de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências
 

Objetivos gerais – Reconhecer, validar e certificar competências adquiridas ao longo da vida pelo adulto, tendo como objetivo a certificação escolar equivalente ao 1º, 2º ou 3º Ciclo do Ensino Básico; Motivar e apoiar o adulto na definição e desenvolvimento de um projeto pessoal de educação / formação ao longo da vida.
População alvo – Maiores de 18 anos; sem escolaridade básica de 4, 6 ou 9 anos que pretendam obter certificação escolar equivalente ao 1º, 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico.
Entidade financiadora – PRODEP III – Programa de Desenvolvimento Educativo para Portugal III / Fundo Social Europeu e Estado Português.
Duração – 2001 / 2006.

Ações desenvolvidas
Atualização do diagnóstico local / regional; Dinamização / alargamento da parceria; Promoção e divulgação do Centro (campanha de mobilização social); Processo de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências; Formações complementares de Níveis B1, B2 e B3 nas áreas de Matemática para a Vida, Tecnologias de Informação e Comunicação, Linguagem e Comunicação e Cidadania e Empregabilidade; Provedoria.

Resultados (de 2001 a 2005)
3374 pessoas inscritas.
2394 pessoas iniciaram o processo de rvcc, por este se adequar ao seu perfil e por estarem efetivamente interessadas.
940 pessoas realizaram formação complementar.
672 pessoas foram validadas/certificadas (2002 – 39; 2003 – 189; 2004 – 211; 2005- 233).

As pessoas certificadas foram acompanhadas em follow-up, seis meses após a certificação, no sentido de identificar as alterações que esta introduziu na sua vida. Foram referidas: valorização pessoal, prossecução de estudos, regularização da sua situação profissional, progressão na carreira/profissão; obtenção de emprego, realização de ações de formação, realização de cursos de formação profissional, obtenção de qualificação profissional, acesso a concurso público e outras menos representativas.
Estabelecimento e formalização de parcerias.


 

Acções S@ber + 

Objetivo geral – Estimular os públicos adultos a adquirir, desenvolver ou reforçar as suas competências pessoais, profissionais ou escolares, em domínios específicos; Mobilizar os adultos para a aprendizagem ao longo da vida; Diversificar as ofertas educativas / formativas dirigidas a adultos.
População alvo – Pessoas com idade igual ou superior a 18 anos, ativas empregadas, com níveis de escolaridade compreendidos entre o 4º e o 9º ano, inclusivé.
Entidade financiadora – Programa Operacional Emprego, Formação e Desenvolvimento Social (POEFDS) / Fundo Social Europeu e Ministério da Segurança Social e do Trabalho.
Duração – Abril 2004 / Julho 2004

Ações desenvolvidas
Ação S@ber + “Oficinas de Leitura e Escrita”, módulo de aprofundamento (50h); Acção S@ber + “Matemática para a Vida”, módulo de aprofundamento (50h).

Resultados
30 formandos iniciaram e concluíram as ações de formação, obtendo o respetivo certificado.
15 formandos desenvolveram competências de expressão, de compreensão e de leitura.
15 formandos desenvolveram competências relacionadas com a numeracia, o cálculo operatório, a interpretação de dados/resultados, e o espaço/geometria.
87% dos formandos concluíram ou estão a concluir, o seu processo no Centro de RVCC com obtenção de certificação escolar correspondente ao 2º ou 3º Ciclos do Ensino Básico.


 

Comunicar, Criar e Divertir

Objetivo geral – Contribuir para a aquisição de competências, pessoais, sociais e profissionais facilitadoras dos processos de inserção.
População alvo – Jovens que abandonaram a escola sem terem a escolaridade obrigatória.
Entidade financiadora – Iniciativa Comunitária Emprego, Eixo Youthstart / Fundo Social Europeu e Ministério do Trabalho e da Solidariedade.
Duração – 1996 / 1999.

Ações desenvolvidas
1996 a 1998 Atelier de animação e trabalho pedagógico; Formação pré-profissional – hotelaria e construção civil;  Formação de pais; Emprego jovem.
1999 Programa de desenvolvimento de Competências Pessoais e Sociais; Atelier’s de estimulação (informática; fotografia; inglês; expressão dramática; desporto); Iniciação à atividade profissional; Articulação com instituições locais.
Rede de partenariado transnacional (Alemanha – Arkus; Espanha – Ayuntamento de Picanya; Monocomunitat de L’Horta – Sud – ADC, Torrent; França – Chambre de Mátiers de La Creuse, Gueret ; Grécia – Secos; Holanda – landelijk Werkverband ZMDK SCHOLEN (T-Schip), Ultrecht; Itália – Sys-dat Consulenze; Fidia – Sud Milan; U.K. – Bilston Community College – Wolverhampton). 

Resultados
Maior capacidade de adaptação às regras sociais.
Integração de jovens no ensino recorrente e em cursos de formação em alternância para continuar o seu processo de escolarização.

Produtos
Seminários transnacionais em Milão, Mons, Matosinhos, Picanya, Volos e Gueret.
Semana europeia de jovens.
Servidor comum da parceria transnacional – La Grolla.
Publicação transnacional – Youngpath – 7 voices = 1 Partenership.


 

Perspetivas 

Objetivos gerais – Aquisição de competências pessoais e sociais, facilitadoras do processo de reintegração escolar de jovens em risco.
População alvo – 15 Jovens em risco oriundos de vários bairros sociais do Concelho de Matosinhos, sem qualquer ocupação e com baixos níveis de qualificação escolar e profissional.
Entidade financiadora – Câmara Municipal de Matosinhos.
Duração – 2000.

Atividades Desenvolvidas
Programa de Desenvolvimento de Competências Pessoais e Sociais; Atelier de Artes; Karaté.

Resultados
Progressão dos estudos através de formação profissional, 9 jovens integraram o curso de formação sócio-profissional de ação educativa e 6 jovens inscreveram-se em cursos de formação profissional.
Aumento das competências pessoais e sociais.


 

Cursos de Formação Sócio-Profissionais de Ação Educativa e Costura 

Objetivos gerais – Facultar a abertura de percursos de formação que permitam encurtar trajetos formativos ascendentes até atingirem uma qualificação profissional; Potenciar as condições para que os jovens e adultos acedam, por via de uma formação qualificante, a uma progressão escolar; Promover a aquisição de competências pessoais, sociais e profissionais.
População alvo – Jovens com idade igual ou superior a 15 anos que não tenham concluído o 2º ciclo do ensino básico do Concelho de Matosinhos e mulheres de etnia cigana com idade igual ou superior a 15 anos que não tenham concluído o 1º ciclo do ensino básico do Concelho de Matosinhos.
Entidade financiadora – Instituto de Emprego e Formação Profissional – Centro de Formação Profissional do Sector Terciário do Porto, Ministério da Segurança Social e do Trabalho.
Duração – Dezembro 2000 / Junho 2001. 

Ações Desenvolvidas
Curso de formação geral e formação técnica na área da costura e acção educativa; Apoio psico-social aos formandos e suas famílias.

Resultados
Certificação escolar ao nível do 1º e 2º ciclo do ensino básico de 27 pessoas.
Integração de jovens na escola e em formação profissional para continuação dos estudos.



Programa Horizonte 2000 Inserção / Emprego

Objetivos gerais – Promover a aquisição de competências pessoais, sociais e profissionais na população beneficiária do Rendimento Mínimo Garantido para o exercício da cidadania; Possibilitar aos formandos a aquisição de conhecimentos profissionais; Promover a autonomia e melhoria das condições de formação e emprego da população em situação de risco e exclusão social; Promover as relações interpessoais e o trabalho em equipa.

População alvo – Beneficiários do Rendimento Mínimo Garantido.

Entidade financiadora – Instituto de Emprego e Formação Profissional – Centro de Emprego de Matosinhos, Ministério da Segurança Social e do Trabalho.

Duração – Maio 2000 / Julho 2001.

Ações Desenvolvidas
Ações de formação nas áreas da Limpeza e Acção Educativa (2 meses); Exercício de uma atividade de interesse social/profissional nas instituições locais (1 ano). 

Resultados
Certificação de 15 formandos na área da Ação Educativa e 19 formandos na área das Técnicas de Limpeza.
Aumento de conhecimentos dos formandos sobre as áreas de inserção profissional.
Melhoria das relações interpessoais.
Reconhecimento da importância do trabalho em grupo.
Melhoria das competências pessoais e sociais para o exercício da cidadania.
Envolvimento de 11 instituições locais na assunção dos estágios.


 

Formação de Mediadores Sócio-Culturais 

Objetivo geral – Promover a formação de jovens em risco; Criar uma nova figura profissional na área da orientação; Encaminhamento e acompanhamento de crianças e jovens oriundos de meios sócio-económicos desfavorecidos e respetivas famílias.
População alvo – Jovens em risco (desempregados há mais de um ano e/ou beneficiários de Rendimento Mínimo Garantido e minorias étnicas), com idades entre os 16 e os 24 anos, com escolaridade compreendida entre o 6º e o 12º ano.
Entidade financiadora – Programa Operacional Emprego, Formação e Desenvolvimento Social (POEFDS) / Fundo Social Europeu e Ministério da Segurança Social e do Trabalho.
Duração – Novembro 2001 / Julho 2002.

Ações desenvolvidas
Curso de formação em sala (sócio-cultural, científico–tecnológica e prática simulada) e formação prática em contexto de trabalho.

Resultados
Certificação profissional 6 jovens na área da mediação.
Integração no mercado de trabalho e em formação profissional.


 

Empresa de Inserção – Mestre Jardim 

Objetivo geral – Desenvolver competências pessoais, sociais e profissionais de pessoas com dificuldades de inserção profissional; Responder às necessidades de requalificação dos espaços verdes do Concelho de Matosinhos; Facilitar a integração no mercado de trabalho.
População alvo – Desempregados de longa duração; beneficiários de Rendimento Mínimo Garantido / Rendimento Social de Inserção, Adultos de famílias monoparentais; Alcoólicos e toxicodependentes em processo de recuperação; Deficientes, Ex-reclusos ou a cumprir penas ou medidas judiciais não privativas de liberdade; Jovens em risco; Vítimas de comportamentos ofensivos.
Entidade financiadora – Programa Empresa de Inserção, Co-financiada pelo IEFP – instituto de Emprego e Formação profissional.
Duração – 2001 / 2008.

Ações desenvolvidas
Dirigidas aos destinatários directos:
Atendimento Psicossocial; Acompanhamento psicológico; Sessões de Promoção de Competências Pessoais e Sociais; Sessões de Promoção da Empregabilidade e técnicas de procura ativa de emprego; Formação em contexto real de trabalho com duração de 6 meses; Apoio na procura de emprego fora do contexto da empresa de inserção.

Dirigidas ao exterior:
Construção, recuperação e manutenção de espaços verdes em vários locais do Concelho.

Resultados
Junto dos destinatários:
Desenvolvimento das competências pessoais, sociais e profissionalizantes (26 pessoas).
Aquisição de conhecimentos técnicos na área da jardinagem.
Melhoria dos níveis de produtividade.
Crescente autonomia no desempenho das funções profissionais.
Aumento das competências escolares (Uma pessoa frequentou o Ensino Recorrente e oito inscreveram-se no Centro RVCC, tendo duas concluído o 9º ano).
7 pessoas que passaram em anos anteriores pela empresa estão a fazer trabalhos de jardinagem, por conta própria, através de contactos pessoais.

No meio envolvente:
Melhoramento e construção dos espaços verdes de várias zonas habitacionais e de alguns clientes particulares.


 

Agência Metropolitana de Serviços 

Objetivo Geral: Promover a progressiva autonomia dos participantes como profissionais por conta própria.
População alvo: Jovens à procura do primeiro emprego, desempregados, pessoas com deficiência.
Entidade financiadora: IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional.
Duração: Novembro 2002 / Dezembro 2003.

Ações Desenvolvidas
Balanço pessoal e profissional; Ações de formação em sala; Formação prática em contexto real de trabalho.

Resultados
Conclusão da formação por parte de 9 formandos.
Aumento das competências pessoais e profissionais.
1 formando apresentou candidatura ao IEFP de criação de empresa na área da jardinagem.


 

Associação Metropolitana de Serviços / Curso de “Desenvolvimento Pessoal e Prestação de Serviços” 

Objetivos Gerais: Dotar de competências pessoais, sociais e profissionais 24 pessoas em situação de desfavorecimento social; Promover a inserção social e profissional de 24 pessoas.
População alvo: Pessoas com dificuldades acrescidas de integração no mercado de trabalho; Desempregados/as, maioritariamente de longa duração.
Entidade financiadora: Programa Operacional Emprego, Formação e Desenvolvimento Social (POEFDS) / Fundo Social Europeu e Ministério da Segurança Social e do Trabalho.
Duração: 1º Curso Maio 2004 / Setembro 2004 , 2º Curso Janeiro 2004 / Maio 2005

Ações Desenvolvidas
Ação de formação para o desenvolvimento de competências pessoais, sociais e profissionais, nomeadamente na área de prestação de serviços (3 meses); Ação de formação prática em contexto real de trabalho (1 mês).

Resultados
Conclusão da formação em sala por parte de 22 formandos.
Conclusão da formação prática de contexto de trabalho por parte de 19 formandos.
Aumento das competências pessoais e sociais (auto-estima, capacidade de projeção do futuro).
Aumento das competências profissionais dos formandos, em geral.
Integração de 7 participantes no mercado de trabalho (2 em part-time e 3 no local de realização do estágio).
Inscrição de 12 formandos no processo de RVCC com o objetivo da sua certificação escolar.


 

Projecto IRVA – Inserção Real na Vida Activa 

Objetivos Gerais – Integrar profissionalmente população desempregada; Introduzir melhores práticas de intervenção social; Dotar de competências pessoais, sociais e profissionais alguns grupos com mais dificuldades de inserção profissional, como forma de facilitar o seu acesso (e regresso) ao mercado de trabalho e o seu processo de autonomia; Identificar boas práticas das entidades empregadoras ao nível da inserção profissional dos públicos desfavorecidos; Introduzir boas práticas nas empresas; Criar condições para a conciliação entre vida familiar e profissional; Promover o envolvimento ativo das empresas e outros parceiros.
População alvo – Atores sociais (técnicos de várias instituições do Concelho); Empregadores; População desempregada (ex-reclusos; toxicodependentes em processo de desintoxicação; pessoas com baixos níveis de instrução escolar e profissional; pessoas portadoras de deficiência; imigrantes e minoriais étnicas; desempregados de longa duração).
Entidade Financiadora – Programa de Iniciativa Comunitária EQUAL / Fundo Social Europeu e Ministério do Trabalho e da Segurança Social.
Duração – Outubro 2002 / Dezembro 2004
Parceria de Desenvolvimento
ADEIMA – Associação para o Desenvolvimento Integrado de Matosinhos
AEP – Associação Empresarial de Portugal
ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários
Câmara Municipal de Matosinhos
ISS – Instituto de Segurança Social 

Ações desenvolvidas
4 Workshops dirigidos a empregadores (participaram 22 elementos de 13 empresas); Conferências e Encontros (2 Conferências, Abertura e Finalização; 6 Encontros temáticos; 1 Encontro de Emprego); 5 ações de formação a atores sociais (45 técnicos de instituições públicas e privadas); Formação em sala dirigida a pessoas desempregadas com as componentes de: Linguagem e Comunicação, Matemática para a Vida, Tecnologias da Informação e da Comunicação, Igualdade de Oportunidades e Competências Pessoais e Sociais Aplicadas ao Mundo do Trabalho; Formação em contexto de trabalho (24 formandos); Acompanhamento psico-social aos formandos; Criação de um Portal Digital; Ações de coordenação inter-institucional.

Resultados
Junto das pessoas desempregadas:
Conclusão da formação em contexto de sala e em contexto de trabalho por parte de 20 formandos.
Aumento da valorização pessoal de 20 formandos (auto-estima, capacidade de projeção no futuro, sensibilização para o exercício pleno de cidadania).
Aumento de competências profissionais em 20 formandos.
Integração de 10 formandos/as no mercado de trabalho.
Aumento dos níveis de certificação escolar de 6 formandos/as, através dos processos de RVCC em que foram inseridos.
Resolução de problemas familiares que permitiram, a 8 pessoas, uma maior conciliação entre a vida familiar e profissional.

Junto dos atores sociais:
Desenvolvimento de competências em 45 técnicos, nomeadamente ao nível da: compreensão da pessoa como um todo; capacidade de demonstrar e conquistar a confiança dos actores com que se relaciona; reconhecer e respeitar a diversidade.

Junto das empresas:
Envolvimento de 10 empresas na realização da formação em contexto real de trabalho, o que demonstra uma abertura ao meio envolvente.
Maior capacidade, por parte dos empregadores envolvidos, de entendimento dos problemas associados à exclusão social.
Maior abertura aos temas da Responsabilidade Social.
Criação do Conselho Consultivo do Emprego e do Trabalho.

Na coordenação de parcerias:
Criação da Metodologia de Atendimento Integrado.
Experimentação de um modelo de Atendimento Integrado (AI) na freguesia de Matosinhos, com o estabelecimento de um protocolo formal entre 14 entidades, tendo sido já registada uma diminuição da lista de espera do atendimento. 

Produtos
Metodologia de Atendimento Integrado.
Percursos integrados de orientação-formação-inserção.
Vídeo “Profissões com Futuro?”.
Guia de Boas Práticas – Vertente Empregadores.
Portal Digital – disponível no endereço electrónico irva.cm-matosinhos.pt


 

Projeto Metas

Objetivos Gerais – Informar / Educar para a saúde através da promoção de políticas e comportamentos preventivos e de redução de danos; Contribuir para a diminuição dos mecanismos de exclusão e marginalidade social; Prevenir o risco de propagação de doenças infecciosas; Reduzir o consumo endovenoso de drogas.
População alvo – Pessoas toxicodependentes a residir no Concelho de Matosinhos.
Entidade financiadora – Instituto da Droga e da Toxicodependência e Câmara Municipal de Matosinhos (Regime Geral das Políticas de Prevenção e Redução de Riscos e Minimização de Danos).
Duração – 2001 / 2005

Ações desenvolvidas
Estabelecimento de protocolos de parceria (IDT – CAT de Matosinhos, Unidade Local de Saúde de Matosinhos, SA, Instituto de Solidariedade e Segurança Social, Comissão Nacional de Luta Contra a Sida, Administração Regional de Saúde do Norte – Projeto Auto-Estima); Equipa de rua (unidade móvel) com as seguintes dimensões: divulgação de informação aos utentes sobre consumos de menor risco e doenças sexualmente transmissíveis; distribuição de material de prevenção; administração de tubercolostáticos; implementação de programa de substituição opiácea de baixo limiar; motivação dos toxicodependentes para o tratamento; prestação de cuidados de enfermagem e de primeiros socorros face a situações de emergência, prestação de cuidados médicos); Acompanhamento e orientação dos utentes no acesso aos serviços de saúde; Apoio psicossocial e orientação sócio-comunitária. 

Resultados
204 indivíduos inscritos no Projecto, sendo que 163 forma integrados em programa de metadona.
Transferência de 44 utentes (que já frequentaram o programa de metadona) para programas mais exigentes em termos de tratamento.
147 rastreios de DST efectuados.
4338 preservativos distribuídos.
Distribuição de kits de higiene a 31 utentes.
Diminuição do consumo endovenoso de drogas.
Diminuição do consumo de heroína.
Maior controlo da administração de medicação prescrita e da própria evolução de doença(s).
70 indivíduos inscritos nos Centros de Saúde.
Aumento de competências pessoais e sociais.
Maior proximidade e autonomia face aos serviços.
3 pessoas integradas em alfabetização.
9 pessoas integradas em formação profissional.
43 pessoas inseridas no mercado de trabalho.


 

De Pequenino se Tece o Futuro 

Objetivo geral – Potenciar o desenvolvimento bio-psico-social das crianças nos primeiros anos de vida e contribuir para aquisição crescente de competências parentais no processo educativo das crianças.
População alvo – Crianças consideradas em situação de risco, dos 0 aos 6 anos e respetivas famílias, residentes nos Conjuntos Habitacionais da Biquinha, Custóias, Perafita, Praia de Angeiras, S. Gens e Seixo.
Entidade financiadora – Programa Ser Criança, Ministério do Trabalho e da Solidariedade.
Duração – 1997 / 2000.

Ações desenvolvidas
Criação de um serviço domiciliário para o acompanhamento das famílias com crianças dos 0 aos 3 anos de idade, consideradas em situação de risco; Criação de dois espaços lúdico-pedagógicos destinados a crianças dos 3 aos 6 anos, que não frequentassem qualquer tipo de equipamento formal; Criação de um Centro de Apoio à Criança, no Conjunto Habitacional do Seixo, com caráter atípico, abrangendo crianças dos 18 meses aos 5 anos de idade.

Resultados
27 crianças abrangidas pelo serviço domiciliário de estimulação precoce.
Melhoria das competências parentais, quer ao nível dos cuidados básicos (alimentação, higiene, saúde) quer ao nível da estimulação do desenvolvimento global da criança.
Tomada de consciência, por parte dos pais, da importância da educação pré-escolar.
Progressos ao nível do desenvolvimento motor, sócio-afetivo, cognitivo, da linguagem e da autonomia das crianças.


 

Antes Que Seja Tarde 

Objetivo geral – Promover uma cultura de prevenção face às toxicodependências, no concelho de Matosinhos.
População alvo – Professores, auxiliares de ação educativa, encarregados de educação, pais, agentes locais, crianças, jovens e população em geral.
Entidade financiadora – Programa Quadro Prevenir do Projeto Vida e Câmara Municipal de Matosinhos.
Duração – 1998 / 2000.

Ações desenvolvidas
Ações de formação sobre estratégias de prevenção do consumo de álcool e outras drogas em meio escolar, dirigida a professores e auxiliares de ação educativa; Ações de formação para encarregados de educação, pais e agentes locais sobre uso/abuso de drogas; Atividades de tempos livres para crianças/jovens cujo contexto sócio-familiar, percurso escolar e consumos precoces de substâncias se encontram em situação de maior vulnerabilidade face a futuros comportamentos de risco.

Resultados
Constituição de um núcleo de pais com vista à dinamização de ações de prevenção no Concelho de Matosinhos, como efeito multiplicador da formação recebida.
Consciencialização da comunidade escolar para a importância de integrar na sua dinâmica temáticas associadas ao uso e abuso de drogas.
Implementação de um programa de prevenção em contexto de sala de aula e realização de um estudo sobre os conceitos e representações das crianças/jovens sobre a toxicodependência, pelos professores.
Autonomia por parte de algumas escolas do ensino básico na concretização das atividades de treino de competências.
Aumento das competências pessoais e sociais dos jovens.


 

JACTO – Jovem Activo 

Objetivo geral – Promover ações e dinâmicas para a inserção social dos adolescentes; Prevenir comportamentos de risco e marginalidade nos jovens; Sensibilizar as escolas para uma melhor compreensão dos fenómenos desviantes; Sensibilizar as entidades locais para as dificuldades específicas de inserção dos jovens; Melhorar as dinâmicas familiares.
População alvo – 98 crianças e jovens com comportamentos de risco por ano; 33 famílias.
Entidade financiadora – Instituto Português da Droga e da Toxicodependência e Câmara Municipal de Matosinhos (Plano Municipal de Prevenção do Uso / Abuso de Drogas).
Entidade parceira – Programa ESCOLHAS.
Duração – Outubro 2002 / Setembro 2004.

Ações desenvolvidas
Implementação de um Programa de Desenvolvimento Pessoal e Social (sessões de DPS e orientação vocacional, acompanhamento individual, sessões temáticas); Animação sócio-cultural (sessões lúdico-pedagógicas, atividades desportivas, ateliers); Dinamização familiar – Constituição de um grupo de mulheres “Aprender é viver”;
Ações de formação sobre gestão de conflitos (2 acções com 22 participantes); Envolvimento das entidades locais nos processos de inserção dos jovens.

Resultados
Reintegração na escola/formação de 4 crianças/jovens.
Inserção no mercado de trabalho de 4 pessoas.
Integração de 5 jovens em outras respostas da ADEIMA (ATL/Centro de Jovens).
Contato com atividades lúdicas alternativas.
Prevenção efectiva de consumos entre os jovens envolvidos.
5 jovens escolheram uma área de especialização para o 10º ano.
Definição de um projecto de ida para 11 jovens.
Participação nas sessões de orientação vocacional de 8 jovens.
Aumento de competências pessoais e sociais por parte de 21 crianças/jovens.


 

SPID – Sente Participa Investe e Desenvolve

Objetivo geral – Promover uma cultura de prevenção no Concelho de Matosinhos; Informar sobre as causas e efeitos do consumo de substâncias psicoativas; Envolver os pais na rede local de intervenção na toxicodependência; Formar agentes educativos para a implementação de medidas preventivas; Sensibilizar crianças e jovens para estilos de vida saudáveis.
População alvo – Crianças e jovens, alunos de escolas do Concelho; professores; auxiliares de ação educativa; técnicos e monitores das Casas da Juventude e das associações locais; Pais e famílias; policia municipal; População em geral.
Entidade financiadora – Instituto Português da Droga e da Toxicodependência e Câmara Municipal de Matosinhos (Plano Municipal de Prevenção do Uso / Abuso de Drogas).
Duração – 2001 / 2005.

Ações desenvolvidas
Formação de técnicos e monitores de das Casas da Juventude do Concelho em prevenção do uso / abuso de drogas; Implementação de um programa de formação em desenvolvimento de competências pessoais e sociais dirigido a crianças e jovens; Formação dirigida a agentes educativos (professores e auxiliares de ação educativa); Formação a voluntários em prevenção do uso / abuso de drogas; Formação em prevenção do uso / abuso de drogas dirigida a pais e dinamizada por um grupo de pais; Divulgação: encontros, conferência, publicação de materiais; Ação de formação complementar em Metodologia de Projecto dirigida ao núcleo de pais com formação em prevenção do uso / abuso de drogas; Realização de grupos de discussão sobre a temática da prevenção em meio familiar, dirigidos a pais e encarregados de educação, realizados em escolas, juntas de freguesia, associações locais, etc; Formação de jovens líderes em prevenção do uso / abuso de drogas; Ação de formação sobre estratégias de prevenção do uso/abuso de drogas junto de crianças e jovens dirigida aos técnicos das instituições que constituem a rede social do concelho; Implementação de ação de informação dirigida a professores do ensino básico a lecionar o 1º ano, sobre o programa “Crescer a Brincar”; Ação de sensibilização sobre estratégias de intervenção junto de grupos de risco dirigida a agentes da policia municipal.

Resultados
Aumento da capacidade de trabalhar em grupo; aumento da resistência à frustração; Aumento da capacidade de conceção e concretização de tarefas, entre os jovens envolvidos.
Aumento da capacidade de reflexão em torno do fenómeno da toxicodependência, por parte da população envolvida nas ações de formação ( pais, professores, auxiliares de ação educativa, técnicos e população em geral).
Criação de materiais informativos com capacidade para produzir um efeito multiplicador.
204 pais e famílias envolvidos em ações promovidas ao nível da prevenção em meio familiar.
Participação do grupo de pais voluntário na organização de atividades na organização de atividades de prevenção dirigidas ao concelho de Matosinhos.
Maior consciencialização do papel da família na prevenção de comportamentos de risco por parte de crianças e jovens.
Participação da comunidade escolar (professores e auxiliares) na formação em estratégias de prevenção primária e aumento dos conhecimentos sobre as problemáticas da toxicodependência (tipologia de drogas e seus efeitos, contornos do fenómeno na população estudantil, aquisição de competências para futuro envolvimento dos professores num programa de prevenção do uso/abuso de drogas).
Autonomização das instituições do concelho na implementação de atividades de carácter preventivo junto de crianças e jovens.

Produtos
Cartazes e desdobráveis de informação/divulgação.
Artigos de jornal (4).
Reedição da brochura “Família e Toxicodependência – Um Guia para Pais”.